A Herança do Tarô de Marselha

Tarot de Marseille Heritage

 Com o objetivo de proteger a herança tradicional do Tarot de Marselha, Yves Reynaud e Wilfried Houdouin apresentam fac-símiles exclusivos dos Tarots históricos considerados de Marselha mais belos. Respeitando o tamanho e o dorso original das cartas. Alguns desses Tarots foram feitos na cidade de Marseille, na frança. Alguns outros, que não eram produzidos na cidade, mas que competem em qualidade gráfica e simbólica com os Tarots de Marseille, também são apresentados. O Tarot de Pierre Madenié, realizado em Dijon em 1709, constitui o mais antigo, de sua categoria,  Tarot dito “de Marselha” do tipo II (TdM II). Em breve, até o fim de 2012, estará sendo publicado o Tarot completo de François Chosson de 1736.

 Tarô de Marselha de Pierre Madenié, Dijon 1709

The Tarot of Marseilles of Pierre Madenié, Dijon 1709

Este é o mais antigo Tarot de Marselha referenciado na categoria de tipo II, considerado em todo o mundo como o modelo padrão. É tido como referência devido à sua regularidade, a qualidade de sua gravação, e a muito boa preservação de suas cores, este baralho é também uma das mais belos. A cópia apresentada aqui está preservada no Museu Nacional Suíço de Zurique, e é a única cópia conhecida completa deste baralho.

 

Realizado em Dijon em 1709 por Pierre Madenié, Mestre feitor de cartas de esta cidade, na época reconhecido pela qualidade dos seus Tarots. Yves e Wilfried realizaram um fac-símile fiel ao original, preservado no Museu Nacional Suíço de Zurique. Tiveram o trabalho de oferecê-lo com um envoltório pouco comum nos baralhos atuais, uma reprodução da folha original de embalagem, com diversas informações do mestre cartier original. Este Tarot além do mais antigo exemplar de sua categoria, é também considerado como modelo de referência em todo o mundo. Devido à regularidade de seus traços, a qualidade de sua gravação, bem como a qualidade e combinação de suas cores, este Tarot é, com certeza, um dos mais belos.

Respeito às origens

As cópias originais foram totalmente respeitadas. Assim, o tamanho das cartas, o seu aspecto acetinado e da sua espessura, os seus cantos quadrados, o tom das cores e o mesmo dorso das cartas  foram reproduzidas, como antes, e na escala original. Também se preservou os defeitos ligados à técnica do período, tais como a densidade variável do preto, as manchas de cores e as faixas “fantasmas”, resultantes de impressões de teste realizadas na parte de trás do papel. A preservação de todos esses detalhes, que fazem parte do charme dos baralhos antigos, , restaura ao máximo possível a cópia original, e por isso respeita o trabalho inicial. É claro que nossos republicações não são realizadas com as mesmas técnicas que no período: impressão através dos moldes gravados em madeira, a aplicação de cores com escova e estêncil, o alisamento das cartas com pedra redonda, a a forma de cortar etc. No entanto, o maior cuidado foi tomado para a realização dos fac-símiles, a partir do trabalho gráfico da impressão final. Assim, Tarot de Marselille Heritage propõe ao público algumas reedições exclusivas dos  históricos Tarots de Marseille, constituindo fac-símiles que pela primeira vez estão inteiramente correspondentes aos exemplares originais, preservando essa herança ancestral, e tornando-a acessível a todos.

Por que essas edições fac-símiles estão acondicionados em um envelope?

No período, os baralhos eram acondicionados em uma folha de um papel normal, em que estava impresso o nome do mestre feitor de cartas, seu brasão de armas, o seu slogan e o endereço da sua oficina. De acordo com seus “privilégios”, devidamente trocados, o feitor de cartas declarava-se “Feitor de cartas do rei”, “Feitor de cartas do Senhor Duque” etc. Esses fac-símiles são enrolados na mão, com um papel craft 80 gr / m2, sem cloro, não ácido, feitos por artesãos no Nepal, produzindo um papel de acordo com as antigas técnicas.

As classificações dos Tarôs de Marseille

Como são classificados os  Tarôs de Marselha?

Os históricos Tarôs de Marselha são classificados pelos historiadores de acordo com as seguintes categorias. O Tarô de Marselha tipo I (TDM I) e o Tarô de Marselha tipo II (TDM II). É nesta última categoria que o Tarô de Pierre Madeniè se encaixa. O TDM II é uma categoria em que o modelo mais antigo de baralho corresponde ao século XVIII, enquanto que os modelos mais antigos conhecidos por TDM I datam do século XV. No entanto, esta é uma classificação que pode evoluir de acordo com as pesquisas atuais e as futuras descobertas de baralhos de Tarô no momento não foram classificados.

Autores

Yves Reynaud é inspetor marítimo. Nascido em Montpelier (Hérault), em 1956, vive em Marselha desde 1982. Fascinado pelo esoterismo por um longo tempo, aprendeu as bases da astrologia, e estudou em profundidade a numerologia, bem como a grafologia. O simbolismo e a arte religiosa, bem como os vitrais são uma de seus principais interesses. O Tarô, e particularmente o Tarô dito “de Marselha”, interessa-lhe pela sua riqueza simbólica e estética. Desde 2004, vem concentrando-se nos Tarôs históricos que coleciona  com paixão. Yves Reynaud também faz pesquisas iconográficas, genealógicas e históricas na história do Tarot de Marselha, e dos seus mestres feitores de cartas, a cidade de Marselha etc. Juntamente com Wilfried Houdouin percebeu a importância do legado iniciático e cultural do Tarô de Marselha, bem como a raridade dos exemplares preservados, decidiram criar Tarot de Marseille Heritage com o intuito de produzir fac-símiles dos Tarôs históricos mais belos. Estes baralhos, entre as quais o de Pierre Madenié, constituirão, uma nova coleção de referência, republicada com o máximo de respeito com as características das edições originais. O site de seu trabalho é: tarot-de-marseille-heritage.com

Wilfried Houdouin é designer gráfico profissional. Nascido em Gouvieux (Oise, França), em 1971, vive em Marselha desde 2001. Fascinado pelo Tarô desde seus 15anos, adquiriu sua primeiro Tarot de Marselha com 19, e desde então, não parou de estudar praticando e ensinando-o com uma paixão crescente. Formou-se em artes gráficas, em Paris, no final da década de 1980, e obteve o certificado profissional de escultor na histórica restauração de monumentos, em Angers 1992. Formou-se em 1996 e 1997, em infografia, e com isso tornou-se um designer gráfico profissional. Suas pesquisas em filosofia, história, geometria sagrada e cosmologia, levou-o a redescobrir a estrutura original e a natureza do Tarot de Marselha, que na verdade, este constituí-se num modelo simbológico do Universo. Estas redescobertas, associadas com o domínio dos softwares gráficos, permitiu-lhe realizar o Tarot of Marseille Millennium Edition, e escrever o livro Sacred code of the Tarot, o primeiro trabalho de uma série de vir, dedicado à tradição metafísica e simbólica do Tarot de Marselha. O site de seu trabalho é: www.tarot-de-marseille-millennium.com

Deixe uma resposta

Patrocinado